Tornando a segurança parte de nosso processo

As práticas em nossa fábrica de adesivos nos EUA
refletem nosso compromisso em toda a empresa

A menos que você seja um entusiasta da segurança no trabalho (acredite, eles existem e nossa empresa está cheia deles), talvez você não saiba que ela pode ser dividida em duas categorias: segurança ocupacional, cujo objeto são as prevenção de ferimentos individuais; e segurança do processo, que estabelece práticas e procedimentos para prevenir incidentes catastróficos.

Nossa fábrica da Mill Hall, na Pensilvânia, onde fabricamos nossos adesivos patenteados, é um ótimo exemplo de como a segurança do processo se incorpora na forma como trabalhamos. Os produtos químicos que usamos nessa fábrica exigem cuidados extras de manuseio e armazenamento. Assim, protegemos nosso pessoal e nossa propriedade de três formas:

 Eliminamos continuamente os riscos em nossos processos de fabricação. Isso significa substituir um sistema de reator químico quando seu tempo de uso se torna um fator de risco ou renovar um sistema de ventilação inteiro para que ele remova com mais eficiência gases potencialmente perigosos, como fizemos recentemente. "Essas medidas exigiram muitos investimentos, mas nossa liderança foi sempre favorável, porque a segurança é fundamental para a nossa cultura", diz Nat Weiner, gerente da fábrica.

● Conservamos nosso equipamento. Isso não se resume a manter parafusos e porcas apertados. Preparado para uma sigla divertida? RAGAGEP significa “recognized and generally accepted good engineering practices.” (boas práticas de engenharia reconhecidas e geralmente aceitas). Essas práticas e padrões cada vez mais rigorosos são os que procuramos adotar quando se trata de operar e cuidar do nosso equipamento. Um Conselho de Gestão de Segurança do Processo, composto por funcionários de vários departamentos da fábrica de Mill Hall, comanda nossas iniciativas. Eles medem os avanços através de auditorias regulares, feitas por especialistas independentes.

 Nós continuamente praticamos nossa resposta à crise. Em situações de emergência, você faz o que é treinado para fazer. Por isso nossa equipe de Mill Hall treina. Muito. Eles fazem exercícios sem prévio aviso. "Sempre temos uma oportunidade de melhorar, mesmo que seja em um número de telefone que estava errado e poderia fazer toda a diferença quando a velocidade conta", afirma Nat. "E sempre que nos esforçamos nosso tempo de resposta melhora.”

O foco nesses princípios é o que nos permitiu manter nossos funcionários da fábrica de Mill Hall em segurança. E ajudou a Avery Dennison a estabelecer um dos melhores registros de segurança em fábricas do mundo. Segundo Nat, todos devem participar para que a segurança se torne parte da cultura da empresa.

"Todos devem participar. Não pode ser apenas o gerente da fábrica ou o responsável de segurança. Tenho a sorte de estar em uma equipe com pessoas que se importam tanto com a segurança quanto eu.”

Saiba mais sobre os avanços da empresa em segurança aqui.

 

Histórias Relacionadas

Novas trabalhadoras chinesas

Experiência recompensadora

Buscando ideias